04/05/2014 - 20h05min

Escreva sua história tocando

Nos pensamentos inquietos sobre instrumentos musicais sempre me perguntei porque os vintage são os mais cobiçados e os mais valorizados, com o tempo percebi que um instrumento antigo tem muito mais que um simples desgaste na madeira com cara de arte.

 

Quando saio para tocar, ensaiar e principalmente em algum festival onde a troca de experiências com outros músicos acontece, vejo muito o cara que pega o instrumento toca ele com a maior delicadeza, não deixa outra pessoa tocar e ao terminar o show antes de guardar, passa um paninho e se der tempo um lustra móveis. Sabe, também fui assim com minha guitarra, mas com o passar do tempo notei que o suor dos dedos que se acumula nos trastes e penetra na madeira até chegar na alma da guitarra, o risco no corpo por causa da batida no amplificador pra chama a microfonia ou até uma simples batida ao tirar do case a guitarra registram a sua história.

 

Como entendi isso? Ao pegar minha guitarra semi acústica que me acompanha a 14 anos, vi que na mão havia uma batida e lembre de um dos meus primeiros shows, o potenciômetro afundado me lembro de outro, e pinos dos captadores desgastados me fizeram pensar quanto suor já escorreu por ai.

 

Não passa o paninho, não chora porque o instrumento foi riscado, deixa a música escrever a sua história.

 

cya!

 

 

 

 

 

Vamos Musicar

Promova sua página também

 



Comentários postados


Nenhum comentário postado ainda, seja o primeiro!


Deixe o seu comentário








PUBLICIDADE PUBLICIDADE

Vamos Musicar

Marcio Moraes toca guitarra desde os 12 anos e, além de guitarrista da banda Comfort Eagle, ama música. Falar, escrever e discutir sobre o assunto movem este estudante de Publicidade e Propaganda. Escrever sobre instrumentos e novas tecnologias surgidas no meio musical, trazer e falar sobre lançamentos musicais e equipamentos serão a mola propulsora deste espaço. Então, vem com a gente? Vamos musicar?