18/08/2013 - 13h08min

Música Didática

Tenho o imenso prazer de trazer ao blog uma matéria com meu amigo Felipe Grass, falando sobre seu projeto, o qual faço parte junta mente com Alex Dal Pizzol outro grande amigo. O projeto é de música didática, música feita para ajudar no aprendizado, método que fixa de forma fácil elementos e estruturas gramaticais. Os alunos aprendem de forma lúdica e divertida.

 

Para que entendam melhor esta é a conversa que tive com Felipe:

 

Gostaria que falasse um pouco de você referente a música, o que você escuta? quais instrumentos toca? E algumas peculiaridades que esteja disposto a compartilhar.

 

Bom, sempre gostei de música, começando a escutar Ramones, Deep Purple, Iron Maiden e Dream Theater. Aos 13 anos foi que comecei a tocar bateria, meio que por pressão dos meus amigos Guilherme Ferrari e Fernando Castilhos, que já tocavam respectivamente guitarra e baixo faltando o batera para fazermos uma banda na época. Isso há pelo menos uns 15 anos atrás, mas ainda bem que me fizeram na época despertar para o universo da música em si, pois sinceramente se não fossem eles talvez não estaria com a música até hoje.

Depois de passar anos tocando bateria, comecei em 2010 a fazer aulas de violão com o Professor Evandro Ricardo de Souza, vindo a desde então tocar violão diariamente. Com relação ao violão, identifico-me com o violão de Nylon, estudando violão clássico, bossa-nova, MPB e Samba.

Hoje em dia tenho escutado mais músicas nacionais, Cazuza, Tim Maia, Gilberto Gil e principalmente Djavan a qual fui em um show este ano. Outro show que pude ir foi no Dream Theater, ainda quando tinha o Portnoy na bateria, sendo algo inesquecível.

Uma dica que deixo aos músicos em geral, é sobre o IPAD Da Apple, aonde podemos comprar o aplicativo GarageBand, sendo um quase estúdio completo, onde podemos tocar teclado, bateria, baixo, violino e outros e fazer gravações em geral. Desde que adquiri, não consigo para de mexer nele.

 

Porque decidiu fazer esse projeto de música educacional?

 

Principalmente porque a música e a educação fazem uma ótima combinação, até mesmo uma complementa a outra, apenas que é pouco explorada hoje em dia. Veja, muitas vezes em que temos que estudar, isto é, abrir um livro, se concentrar, baixar a cabeça e ler alguma matéria, chega uma hora que, convenhamos, cansa e enche o saco. Então eu pensei, por que não fazer músicas didáticas, uma letra em Português ensinando algum tópico ou matéria e colocar um violão, uma percussão e um solo em cima? Então, sendo a música uma Arte, nada melhor que juntá-la com a educação e criar algo novo. Isto é o que eu chamo de juntar o útil ao agradável.

Devo agradecer aqui aos músicos Márcio Moraes e ao Alex Dal Pizzol que me ajudaram a deixar as músicas completas e ao Produtor/Músico Alisson Jázer.

 

Você é formado em direito, porque esse trabalho com a língua inglesa?

 

Isso mesmo, na verdade quem é formado em Direito sabe que no fim do curso tem que fazer a Prova da OAB, para poder ter a carteira de Advogado. Com isso logo que me formei não conseguia passar nesta prova, e claro que não queria ficar sem trabalhar. Então como sempre gostei de Inglês e tenho cursos já feitos fui Lecionar em Escolas Públicas, mais especificadamente na Escola Bom Retiro e no Dona Isabel. Na escola Bom Retiro, fiz uma música com Clip que conta(va) meu dia a dia na escola. Com relação à prova da OAB, está me deixou uma grande lição, pois consegui passar ano passado, depois de várias tentativas, e sempre me lembro de uma música do Legião Urbana, Renato Russo que diz que “quem acredita sempre alcança”.

 

Como foi feita a composição das canções?

 

Bom, como eu vinha lecionando o inglês nas escolas, ficou tudo mais fácil, pois você acaba decorando a matéria e para fazer uma música é tranquilo para quem já sabe tocar e tem a noção de como funciona a música. Mas também geralmente leio as explicações nos livros, estudo e coloco tudo no papel. Depois com o violão, coloco uns acordes e um ritmo assim na medida que vou tocando mexo nas letras para elas se adequarem e rimarem.

 

Na música TO BE você canta, “nós estamos aprendendo com o Xalá”, Por que Xalá?

 

Este é meu apelido desde quando eu era pequeno. Na verdade eu não lembro direito da onde surgiu este apelido, em qual contexto. Apesar de ser Xalá as pessoas acabam falando O Xalá, e essa palavra junta, se você pegar em um dicionário significa uma expressão de otimismo, esperança, e também é um Pai de Santo, ou pela religião da Umbanda significa um orixá, Deus. Então acredito que de uma certa maneira somos todos Deuses, filhos de um Deus perfeito.

 

Quais os planos para o futuro?

 

Os planos agora são terminar de gravar todas as músicas didáticas, que tem ainda umas 8, fazer um CD com elas e quem sabe até um método próprio. Também quero fazer outro Clip na escola este ano e então gravar as músicas próprias.

 

 

Confere a música!

 

 

Bom Retiro:

 

 

 

cy!



Comentários postados


Nenhum comentário postado ainda, seja o primeiro!


Deixe o seu comentário








PUBLICIDADE PUBLICIDADE

Vamos Musicar

Marcio Moraes toca guitarra desde os 12 anos e, além de guitarrista da banda Comfort Eagle, ama música. Falar, escrever e discutir sobre o assunto movem este estudante de Publicidade e Propaganda. Escrever sobre instrumentos e novas tecnologias surgidas no meio musical, trazer e falar sobre lançamentos musicais e equipamentos serão a mola propulsora deste espaço. Então, vem com a gente? Vamos musicar?