30/03/2016 - 19h07min

Jimmy and Atomic Bombs

Fala galera!

 

Hoje a postagem é sobre o power trio, Jimmy and Atomic Bombs. A banda é de Bento Gonçalves e esta lançando seu primeiro trabalho autoral chamado Whiskey e Rock n Roll. Logo vou fazer uma materia mais ampla sobre a banda, por enquanto convido a todos para escutar a musica deles.

 

 

 

 

Curte a página: https://www.facebook.com/jimmyandatomicbombs/

 

cy!


Comentários postados (2) - Deixe seu comentário
28/01/2016 - 12h28min

Vena Rock

Fala galera!

 

Hoje a postagem é para divulgar o trabalho da banda dos meus amigos, a Vena Rock!

 

A Vena Rock foi formada em 2014 por participantes da página do Facebook "Núcleo dos Músicos de Bento Gonçalves", por idealização do baterista Vini Valent, a banda foi moldando nesses período o que considera ser o seu "estilo": um rock clássico, primando pela pressão, acordes e notas bem marcadas e ritmo intenso, mantendo a essencia do rock com qualidade sem buscar o virtuosismo individual, mas sim a virtuose da musicalidade total.

 

Buscando um lugar ao sol e um lugar ao sul no mundo do rock, a Vena vem com um trabalho autoral onde cada integrante trouxe sua bagagem e influência musical, convergindo em músicas com letras próprias, que fazem uma alusão ao que as pessoas mais conflitam em sua vida: sonhos não realizados, amores correspondidos ou não, ser você mesmo, alegrias e tristezas.

 

Também buscando um referencial em bandas do passado, possui um trabalho cover, onde poderemos encontrar facilmente e especialmente o rock gaúcho e nacional da década de 80, com destaque especial Cascavelletes, TNT, Engenheiros do Havai, Velhas Virgens. Com a tendência a busca de originalidade do som pelos dos integrantes da banda, também há no show alguns sucessos nacionais, inclusive de outros estilos, transformados na pegada Vena Rock. O resultado é surpreendente!

 

Quem são os integrantes da banda?

Junior Marini - Vocal

Diego Perin - Guitarra

Gilson Rigo - Baixo

Vini Valent - Bateria

 

Gilson, você vem de uma banda que tocava musica gauchesca, coisa que eu acho muito interessante. Como foi essa transição para o Rock n roll?

O que muda da musica gauchesca para o rock, no meu ponto de vista, é apenas a resistência física que temos que ter. Num baile ficamos de 4 a 5 horas em pé, enquanto num show de rock é no máximo 2 horas. O que muda também é a presença de muitas "ghost note" na música gauchesca, para dar swing, enquanto no rock o groove é menos quebrado. Claro que isso falando da maioria das músicas.Mas vindo pro mundo do rock, o qual eu já ouvia bastante, eu consegui trazer alguns licks que eu utilizava bastante na gaudéria, e que encaixaram muito bem no rock.

 

Como funciona o processo de composição da banda?

As letras são normalmente compostas pelos próprios integrantes da banda fora do ensaio, e que chegam no ensaio e mostram para todos. A partir dessa primeira abordagem, a banda começa a fazer intervenções em melodia, harmonia, andamento e até mesmo na letra, no sentido de dar um corpo para as músicas, uma cara "Vena Rock". Após finalizarmos, ou chegarmos ao que entendemos como "bom", fazemos uma gravação amadora para não esquecer e ensaiamos bem ela. Depois, entramos em estúdio e gravamos.

 

Vejo que o principal meio de divulgação de vocês é a internet. Por muito tempo a internet foi criticada, pois prejudicava as bandas como por exemplo com a pirataria. Vocês acham que ela passou a ajudar ou continua prejudicando?

Vemos a Internet como uma forte aliada ao trabalho das bandas, muito embora a maioria delas não saiba utilizar de forma correta e nem sempre com todo o potencial que ela tem. Cabe à banda saber fidelizar esse público, levando elas ao canal de divulgação, fazendo elas dar um feedback e acima de tudo, fazendo uma real interação com o seu público. É difícil esse processo, pois hoje as pessoas tem acesso a muito material, bom e ruim, e a toda hora, a todo o dia. A banda precisa se reinventar diariamente, senão acaba sendo mais uma a passar despercebida pela "timeline" do público.Sobre a pirataria, temos uma visão de que o nosso trabalho tem que estar na mão e no ouvido do maior número de pessoas possível, e para isso temos que nos valer da internet. Somos a favor da distribuição gratuita da música na internet.

 

Pretende gravar um CD?

Em um primeiro momento, gravamos 5 músicas e fizemos um clip na nossa sala de ensaio para que o público conheça a "cara" da banda. Já temos mais 6 músicas prontas para serem gravadas. A ideia é lançar um album sim, talvez em 2017.

 

Quais os planos para este ano?

O ano de 2015 foi de amadurecimento interno da banda, onde firmamos um repertório cover e conseguimos encaminhar um bom trabalho autoral. Fizemos material de divulgação (gravações, clip, fotos, canais nas redes sociais). A partir de 2016, é achar o nosso espaço no circuito de shows e mostrar a Vena Rock ao vivo, usando como norte o nosso lema: "rock sem frescura".

 

Link da fanpage:

www.facebook.com/venarockbg

 

Link do Canal do Youtube:

https://www.youtube.com/channel/UC2k2H3WvLXNsV8P6Ep1TFGg

 

Clip:

https://www.youtube.com/watch?v=eJGWa7oipq0

 

Link Soundcloud:

https://soundcloud.com/vena-rock

 

Perfil Facebook:

https://www.facebook.com/profile.php?id=100010642293700&fref=ts

 

Instagram:

https://www.instagram.com/banda_venarock/

 

Twitter:

@bandavenarock

 

Cy!


Comentários postados (0) - Deixe seu comentário
03/12/2015 - 12h12min

Bento Bier Festival

Fala galera!

 

Nesse final de semana vai acontecer o primeiro Bento Bier Festival, gostaria de convidar a todos para ir ao evento, vai ser demais! Se liga nas atrações e na programação!

 

1º Bento Bier Festival


Fim de semana para degustar cervejas especiais.

 

A moda das cervejas especiais está chegando em Bento Gonçalves. A 1ª edição do Bento Bier Festival vai movimentar a comunidade da Serra Gaúcha no próximo fim de semana, dias 05 e 06 de dezembro. Durante os dois dias, mais de 10 cervejarias gaúchas estão trazendo para a cidade o que existe de melhor em termos de cerveja especial no Estado, dentro da programação de fim de ano Natal Bento.

Estão marcando presença no evento cervejarias de Bento Gonçalves e cidades como, Porto alegre, Caxias do Sul, Nova Prata, Gramado e outras. Mais de cinco mil pessoas devem circular pelo evento que acontece na Praça Aquyles Mincarone, também conhecida como Praça São Bento, no bairro Planalto.

 

Além de pessoas de Bento, o evento pretende atrair um grande público das cidades vizinhas da região serrana e também turistas de fora do Estado que buscam por novos sabores quando o assunto é cerveja. A expectativa é que as cervejarias ofereçam para o público mais de 50 estilos de cervejas diferentes.

 

O 1º Bento Bier Festival foi concebido para ser um evento voltado, não apenas para o os amantes de cervejas especiais, mas também para as famílias. Dentro da programação do evento, diversas atividades diferenciadas foram preparadas. Uma das atrações será a Praça Gastronômica com tendas que são um convite para a população aproveitar o evento e ainda saborear uma culinária diferenciada que vem de encontro ao conceito “urbano” do festival.

Além da Praça Gastronômica, o público poderá apreciar no evento, shows de bandas, apresentações de dança, exposições de arte e fotográfica. A programação inicia às 14 horas de sábado e segue até as 22 horas. No domingo, as atividades iniciam às 10h, mas encerram um pouco antes, às 20 horas.

 

O evento é aberto ao público e não haverá cobrança de ingresso. Para participar e degustar as cervejas, as pessoas deverão adquirir um copo personalizado do festival e também o “Fiorin”, que será a moeda do evento, e dá direito a compra dos mais diversos estilos de cerveja.

O 1º Bento Bier Festival conta com o patrocínio de Serra Inox, LNF Brewing, Imobiliária Faggion, Divelle Arquitetura de Segurança e o apoio da Prefeitura de Bento Gonçalves, Secretaria Municipal de Turismo, Bento Convention Bureau e Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria.

 

Mais informações no Facebook: https://www.facebook.com/bentobeerfestival


Cervejarias Participantes:


Cervejaria Leopoldina
Cervejaria Guarnieri
Sud Birrificio Artegianale
Cerveja Malvadeza
Jam Beer
Jimmy Eagle Brewery C.O.
Pavos Brassaria
Cervejaria Solerun
Barley Cerveja Natural
Cervejaria Vitrola
Cervejaria Imigração
Cervejaria Farol
MoocaBier

 

Praça Gastronômica:


Novo Sabor Delivery – Panquecas
La Taberna – Batata doce chips e azeitona à milanesa recheada e frita
Ferrovia Live – Pizzas na pedra
Pastello – Pastéis
Pancho do Leo – Panchos
Dolcetto do Vale - Sorvetes

 

Atividades Artísticas:


Exposição de Artes com Diogones
Exposição de Artes com Anderson Cará
Exposição fotográfica “Bento e o Céu”, de Dandy Marchetti da Rosa

 

Shows com as bandas:

 

Jimmy and Atomic Bombs (Blues)

Old Skull Funky (Black Music) 
Libertino (Rock Autoral)
Lactato (Rock)

Trio Marona (Samba de Raiz)


Apresentações de dança:


Aula de Zumba com a dupla SisterZ – Adriana Scheid e Bruna Spolt
Apresentação de Danças Urbanas com o grupo NEST Panos

 

Outras atividades:


Aula de Ginástica para a Terceira Idade – Secretaria Municipal de Esportes
Orientação sobre como usar com a segurança a Ciclo Faixa – Grupo de Ciclistas da Concresul.
Tenda da Saúde – Reiki e Massagem

 

PROGRAMAÇÃO

 

Sábado
14h – Abertura do evento
14h – Festival Gastronômico durante todo o dia
15h30min – Show com a banda Libertino
16h30min – Cerimônia de abertura oficial
17h – Apresentação de Danças Urbanas com grupo NEST Panos 
18h – Show com a banda Jimmy and Atomic Bombs
19h15min – Show com DJ Kito
20h15min – Show com a banda (a definir)
21h30min – Toque do sino do último caneco
22h - Encerramento do primeiro dia do evento na praça
23 horas – Festa Oficial do Evento no Ferrovia Live – Festa Vitrine do Rock e show com a banda 5 Doses

 

Domingo


10h – Abertura do evento
10h – Festival Gastronômico durante todo o dia
11h – Show com o DJ Kito
14h – Show com a banda Lactato
15h – Show com DJ Kito
16h – Aula de Zumba com a Dupla SisterZ 
17h – Show com Trio Marona
18h – Show com a banda Old Skull Funky
19h30min – Toque do sino do último caneco
20h – Encerramento do festival.

 

* Programação sujeita a alteração.

 

SERVIÇO:


1º Bento Beer Festival
Quando: Sábado e Domingo, dias 05 e 06 de dezembro
Onde: Praça São Bento, bairro Planalto – Bento Gonçalves
Ingressos: entrada franca.
Mais infos: https://www.facebook.com/bentobeerfestival

 


Comentários postados (0) - Deixe seu comentário
10/06/2015 - 16h06min

Rafa Schuler

Fala galera!


Hoje tenho o imenso prazer de trazer para o Vamos Musicar uma matéria com Rafa Schuler, este grande guitarrista, compositor, arranjador, violonista, cantor, entertainer e produtor musical. Conheço o trabalho do Rafa desde os tempos da Lucille Band e tenho certeza que é um dos grandes nomes da guitarra no Rio Grande do Sul e Brasil.

 

Rafa começou a suas performances em 1990 com a banda Bandida, depois disso passou por bandas como Lucille, Rafa Schuler e Os Mostardas, Miss Liz, Rafa Schule Trio, Rafa Schuler & B.S.W. Big Band. Atualmente faz parte da Estado das coisas, o qual recebeu o prêmio Açorianos de música na categoria Melhor CD Pop do ano de 2012 pelo CD “Estado das Coisas”. Atualmente esta fazendo shows com o projeto Rock de Galpão para divulgar o DVD gravado ano passado, intitulado Volume II Ao Vivo nas Missões e divulgando o seu novo CD Rafa Schuler & Os Mostardas.

 

Neste novo trabalho Rafa Schule e Os Mostardas, Rafa Schuler visa resgatar um trabalho autoral que teve inicio em 1996 com algumas releituras dos clássicos da música mundial que fizeram parte das suas influências desde pequeno,montou o show intitulado “Tocando guitarra na Broadway” que foi apresentado pela primeira vez em 1997, onde interpretava músicas instrumentais autorais na guitarra bem como temas dos filmes das décadas de 60` à 70`.O disco é composto de 8 músicas autorais inéditas e duas regravações entre elas: Besame Mucho de Consuelo Velásquez que foi gravada com uma Big Band composta de 21 sopros com arranjo do conceituado maestro e arranjador Marcelo Nadruz e Quizás de Osvaldo Farrés.

 

O conceito musical do disco é a mistura do rock, funk, swing das big bands americanas, a música de desenhos animados antigos,  e a acidez de Quentin Tarantino. É um álbum muito orgânico, quase todo feito ao vivo e atípico no que diz respeito a sonoridade. Neste trabalho Rafa salienta a importância da participação de Mateus Bicca, baterista e o Lucas Chini, baixista pois sem eles nada teria acontecido. São grandes músicos e amigos e estamos juntos há uns 4 anos e sem eles bem como o produtor Vini Tonello esse disco não teria sido tão verdadeiro.Rafa comenta “A força, a entrega dessa turma é especial e tenho uma gratidão e respeito por eles enorme, eles são como a minha família, são muito especiais para mim, seres humanos diferenciados.”

 

Aproveitei e conversei com o Rafa.

 

Eu tive o prazer de conferir um show do Christmas Rock, eu uma coisa que me chamo muita atenção foi que você usava um amplificador que se não estou enganado era um Fender, porem era pequeno talvez tivesse um falante de 8' (estou chutando).  Gostaria de saber o porque do uso de um amplificador pequeno, se tem algum motivo em especial, afinal vai contra a maioria dos guitarrista que usam amplificadores grandes ou até paredes?

Já usei menores!! (rsrs) Não Márcio, a única diferença está no som do amplificador mas se observares nem todos guitarristas usam grandes amplificadores, Santana quando veio ao Brasil usou vários amplificadores pequenos. É uma questão de sonoridade, gosto dos dois.

 

Gostei muito dos timbres do CD Rafa Schuler e os Mostardas, poderia falar qual o set up usado nas gravações?

No estúdio utilizei o meu Fender Blues Jr e, de pedal, apenas um Dunlop Cry Baby, pois gosto do som da guitarra direto no amplificador. Controlo tudo no volume da guitarra e nos dedos. Também utilizei um Orange Tiny Terror , Groove Tubes Speaker Emulator. Reverb AKG Acoustics BX 5, Roland RE-501 Chorus Echo e MCI JH 600 com pré-amp John  Hardy. Uso as correias Basso Straps e palhetas da Lost Dog Guitar Wear.

 

Você comenta que o CD é uma mistura de rock, funk, swing de big bands eu vejo tudo isso nas composições, em especial na música Run Baby Run! (a qual gostei muito) noto a comentada acidez de Quentin Tarantino. Gostaria saber quais as tuas influências fora da música?

Gosto muito da cultura americana, Broadway, cinema, ser pai, a faculdade da vida, acredito que tudo respinga de alguma forma mas respiro guitarra todos os dias, ela está conectada com tudo, sempre. Fica difícil fazer essa desassociação.

 

Porque a escolha de regravar Besame Mucho e Quizás?

A história e longa, segue abaixo:

Há uns 5 anos atrás montei um show chamado "Ontem, para Sempre" que acabou focado na terceira idade em função do repertório que era baseado nas minhas lembranças da infância, coisas que ouvia em casa e nas festas de família como Luis Armstrong, Frank Sinatra, Tony Benett, Metais em Brasa, as grande orquestras e Big Bands de Cole Porter, George Gershwin, Elvis Presley, música latina enfim, coisas que retomei em função da idade. Após uma turnê realizada no RS pelo circuito do Sesc me dei conta que a guitarra, o rock agradava muito os idosos que por sua vez eram levados pelos filhos, netos para o show e amavam o jeito meio rock de executar as canções com a guitarra fazendo a frente.

Um dia, não lembro direito qual nem o ano mas a minha voz interior começou a me dizer sem parar para gravar Besame Mucho. Eu sou do tipo que se ouve, que não vou contra minha intuição (aliás, a única vez que fui contra me dei muito mal) mas, ao mesmo tempo, pensava comigo, Besame Mucho é uma das canções mais regravadas no mundo. Os Beatles assinaram seu primeiro contrato por conta dela há anos atrás. Decidi que ia gravar e o ponto de partida era achar um bom produtor, o melhor mas uma pessoa que me conhecesse como guitarrista e que acreditasse em mim e na minha vontade de regravar Besame Mucho com uma Big Band completa no estilo americano, uma guitarra e uma voz roqueira porém, não tinha clareza do arranjo mas tinha certeza que ia achar o caminho, e achei.

Detalhe: Todas as pessoas que na época comentei sobre, foram contra, riram, perda de tempo enfim, clichê, exceto algumas poucas. O único produtor que meio veio à cabeça foi o Vini Tonello, que acabou produzindo o disco todo e que adorou a ideia, topou na hora. Segundo passo era começar, aí entrou o Edson Campagna da ACIT  com o estúdio e gravamos as bases, bateria, baixo, guitarra e voz.

Terceiro passo o arranjador para a Big Band, no caso o Maestro Marcelo Nadruz, que recém tinha feito as transcrições, adaptações  e arranjos do meu show Christmas Rock, todo baseado nas Big Bands Americanas. Está aí, gravada ou melhor, regravada mais uma vez.

Adorei o resultado, estou muito feliz, satisfeito em todos o sentidos com o resultado final e não mudaria uma nota. Minha voz interior continua me incomodando e agora finalizando mais uma etapa junto a Spaghetti Filmes, profissionais de altíssima qualidade, uma equipe sensacional de trabalhar que junto com a minha produtora Letícia Menetrier fizeram com que tudo funcionasse de maneira perfeita e sem esquecer é claro dos meus eternos parceiros, irmãos Mateus Bicca na bateria e Luca Chini no baixo acústico e todos os envolvidos que foram maravilhosos.

 

Atualmente o guitarhero esta, infelizmente, cada vez mais apagado nas novas bandas, eu noto que você faz jus a palavra, sempre com grande solos, desenvolvendo técnicas e as divulgando no seu canal do youtube. O que você acha disso que esta acontecendo, composições sem solos de guitarra ou com mínimos? E o que você diria a um guitarrista que esta começando a tocar?

Isso se faz verdade em alguns tipos de música, não se aplica à todos, AC/DC está mais vivo do que nunca!

A música está em primeiro lugar, deve se respeitar à linguagem, o arranjo, o produtor enfim, o que a música pede e não colocar o ego à frente disso tudo pois pode comprometer todo um trabalho. A guitarra bem como o Rock nunca vão perder força ou deixar de existir, são ícones e fazem parte da história. Estamos falando de algo muito sério, grandioso, sensual, atraente, um pedaço de madeira com 6 cordas que envolve quem se aproxima e ouve e dependendo de quem o toca, essa força se expande imensamente.

Minha dica para quem está começando é que se deixe envolver de forma completa ou seja, você e a guitarra devem se tornar uma coisa só e você sente isso quando acontece. Também estudar, aprender com os grandes, os melhores, ouvir eles. Ter um bom professor e entender que música se aprende como uma faculdade, em matérias. Ainda hoje vejo muitos guitarristas jovens e veteranos estudando apenas a técnica e esquecendo todas as outras matérias como harmonia, leitura, improvisação, etc. etc… que vem junto, elas dependem uma da outra, se complementam e sempre estão juntas.

Mas ao mesmo tempo acho que é uma questão de opção, eu busquei o estudo pois achei necessário, existem grandes músicos que nunca estudaram mas quando tocam, são os melhores.

Dica final e a mais importante: sempre procure a sua voz, não copie, apenas se inspire.

 

O CD Rafa Schule e Os Mostardas pode ser conferido nesse link:

 

 

Eu escutei todas as músicas do CD, adorei, os timbres estão ótimos, o uso de Wah Wah nas composições me agradou, os metais e pianos nas musicas estão inseridos na medida certa nos momentos certos, engrandecendo as composições. Este é um CD que eu colocaria para rodar no carro enquanto viajo. Muito bom!

 

Semana passada foi gravado o videoclipe da música de trabalho do CD , Besame Mucho que deve estar pronto em dois meses. Vamos aguardar!

 

Curte a fanpage do Rafa Schuler AQUI e acompanhe os videos no youtube AQUI.

 

Até a próxima!

 

cy!


Comentários postados (4) - Deixe seu comentário
23/05/2015 - 11h05min

Festi'Nélvis

Fala galera!

 

Atenção! Chamando todos os carros!

 

Esta chegando a segunda edição do Festi'Névis, festival de rock, chopp e arte, no dia 20 de junho de 2015, no clube SUSFA em Bento Gonçalves.

 

 

Este ano o festival conta com as atrações Supersonic Brew de Bento Gonçalves e Xispa Divina de Sobradinho com músicas autorais e ainda 5 super tributos, Eric Clapton com a banda Eric Clapton Cover RS de Bento Gonçalves. Led Zeppelin com a banda Presence Led Zeppelin de São Leopoldo, Jimi Hendrix com o Reverendo Tabordex de Bento Gonçalves, Pink Floyd com a banda Pink Floyd Cover RS de Nova Prata e The Allman Brothers com a Monty Python Band de Bento Gonçalves. Sempre contando com grande DJ Zonattão nos vinis.

 

Para acompanhar as novidade curta a página do evento: https://www.facebook.com/festinelvis

 

Para quem não conhece confere o video da edição passada.

 

 

cy!


Comentários postados (0) - Deixe seu comentário
25/04/2015 - 13h10min

Alisson Jazer

Fala galera!

 

Hoje no blog o trabalho e um pouco da história do meu amigo Allison Jazer, músico, professor, produtor e gremista.

 

Para quem não conhece Jazer, começou a tocar violão por volta de 1996, por influência do seu tio, pois ficava de boca aberta quando observava ele tocar, sua  tia avó foi um incentivo porque também tocava então sempre que se encontravam o assunto da vez era o violão. Antes da música, conheceu o futebol, nunca mais o abandonou. Sol e chuva, verão e inverno, jogando na rua, nas quadras da escola, interséries e campeonatos de bairro.  Quando começou a tocar, não deixou de lado o futebol, mas percebeu que havia algo mais forte dentro de si, a música. Na época ainda era vinil e cassete, então todas as canções que gostava, aguardava serem tocadas na rádio e colocava a fita para gravar, assim tinha uma coletânea, feito por ele e poderia pedir ao meu tio para me ensinar a tocá-las.

 

Suas influências começaram na escola junto aos amigos, escutava bandas como Kiss, Guns N’Roses, Metallica, Iron Maiden, Bom Jovi, Ozzy Osbourne e sua artista predileta, Shakira. Fez aulas de guitarra durante quatro anos. Antes, cursou violão clássico, na mesma escola em que estudava.  Até que juntando amizades e formamdo a primeira banda, sem nome, mas com grande paixão. Os anos se passaram, as amizades foram mudando, acabou passando por algumas bandas, onde tocou muita coisa bacana e fez muitas amizades. Começou a perceber que era realmente o que ele queria, então assim que completou o segundo grau, decidiu dar aulas de violão e guitarra, pois sabia que com o que ele já tocava poderia facilmente ensinar quem estava começando do zero. Dava aulas em casa, no quarto, para alunos de diversas idades e estilos.

 

Começou a se apresentar nos bares, já não mais na escola e também trabalhando em uma loja de instrumentos musicais, começou a mexer em diversos instrumentos, afinar, trocar cordas, limpar, ajustar, assim como passou a entender um pouco de áudio, sonorização e ligações. Foi nessa época que resolveu investir numa mesa de som e microfone, começando então a realizar pequenas gravações no computador, que antes eram feitas com aquele microfone de mesa, que vem com a máquina.

 

Nas redes sociais surgiram amizades. Principalmente nas de futebol, então o seu amor de pequeno pelo Grêmio foi tomando rumo junto às postagens. Até que surgiu um poema e a sugestão de musicá-lo. Assim surgiu a primeira obra, um poema de Felipe Sandrin com o nome de Amor Gremista. Na época, 2007, foi feito até um site para a canção com um vídeo, mostrando feitos do clube na série B, coisas que na canção são citadas, pois o Grêmio saiu dela em 2005. Os anos foram passando e acabou criando mais amizades, pessoas de todo o país adicionavam e pediam mais canções, mais gravações.

 

Dessa parceria com a música do Grêmio surgiu então a banda Lados Separados. Embora o disco não fosse sobre futebol, contou com dois grandes nomes do futebol no patrocinando, Anderson Simas Luciano (Tcheco) e Felipe MattioniRhode, que inclusive jogava já fora do país e fez uma transação em euros para colaborar com nosso trabalho. Produziu todo o disco e como produtor musical, foi sua primeira experiência. Aprendeu tudo dentro de um ano e mixou as canções da forma que achava conveniente. Infelizmente os projetos foram sendo desfeitos, ficou difícil conciliar tudo, conheceu sua esposa, a vida deu uma volta, mas nunca deixou de tocar. Nesse tempo, conheceu o irmão Evandro Ricardo de Souza e fizeram um vídeo lindo para uma promoção na internet foi ai que surgiu uma amizade de irmãos, que foi essencial na sua vida e carreira. Fizeram muita coisa juntos, mas o mais marcante foi ele ter me entregue uma cópia da chave da sala de música dele, deixando que eu trabalhasse lá por praticamente dois anos. Criaram muita coisa e produziu muitas canções. As aulas de violão e guitarra continuavam e volta e meia decidia gravar algum aluno que estava pronto. Em 2014 trocou de local de trabalho, mas a amizade e irmandade continua a mesma.

 

Hoje da aulas de violão, guitarra e técnica vocal, assim como produz artistas e realiza gravações e mixagens de áudio.  Esta  voltando a compor,  gravar, conseguindo fazer os seus horários e tocando em palco quando realmente vale a pena. Alisson fala: “Vivo da música e não reclamo, pois para alcançarmos nossos sonhos basta ter paciência e força de vontade. Nada acontece sem esforço, nada. Quando estou desanimado, lembro-me de toda a minha trajetória e então é impossível desistir. Cresci com a música e hoje, com quase dezoito anos sem tirar o violão do colo, vejo que realmente devemos acreditar naquilo que amamos.”

 

 

 

 

Essa é um pouco da história do Alisson, grande pessoa, grande músico. Espero que tenham gostado.

 

Contatos:

Email: contaro@jazer.com.br

Site: http://www.jazer.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/JazerOficial

Twitter: https://twitter.com/jazeroficial

 

Cy!

 


Comentários postados (1) - Deixe seu comentário
10/04/2015 - 16h57min

Monty Python Band

Fala galera!

 

Hoje é a vez da banda dos meus brother Monty Python Band, banda de Bento Gonçalves que esta há seis anos no circulo musical da serra gaucha, seus conseitos artisticos são baseados no blues e no southern rock. Com músicos experientes já rodados no cenário do rock do estado, remete o público aos ares do rock dos anos 70 com improvisações únicas e uma energia contagiante, sem igual.

 

Com grande satisfação apresentam seu novo show intitulado “Allman Brothers Band Tribute”, uma merecida homenagem aos fundadores do southern rock americano. Formada por Erni Caldato (guitarra), Marcelo Monty (contrabaixo), Marco Esteban (vocal e saxofone), Guilherme Ferrari (guitarra) e Gustavo “Massa” (bateria), essa trupe imterpreta verdadeiros hinos sulistas, marca registrada dos Almman’s, transmitindo amor à música e ao publico presente no espetáculo.

 

Eu conheço os caras a muito tempo e posso garantir que o show deles é de primeira, são músicos que doam a alma a música que tocam e empregam o seu registro sincero. Já curti o show deles varias vezes e recomendo, convido, que não connhece para conferir.

 

Um pouco do som dos caras.

 

 

 

Aproveitei e conversamos.

 

Como surgiu a ideia de fazer o tributo a Almam brothers?

Surgiu do gosto incomum que o pessoal sempre teve pelo trabalho dos caras, sendo assim, uma forma de colocar nossos pesamentos dentro do som deles.

 

De alguma forma o som da Almam Brothers influencia na Monty Python? Como?

Sempre influenciou, com muito improviso durante os sons e vem servindo para algumas composições autorais da banda que estaremos apresentando em breve, com muitos grooves marcantes, solos e passagens diversas.

 

A Almam é uma banda bastante conhecia, porem algumas pessoas ainda não conhecem. Poderia sugerir músicas para quem não conhece?

O Allman sempre foi uma banda muito conhecida pela sua apreciação tão detalhista nas músicas e por beber em muitas vertentes musicais. A Slide Guitar eternizada por Duane Allman é uma marca mundialmente conhecida no início da banda, com grooves fortíssimos em Whippin' Post e Hot'lanta, grandes clássicos dos caras.

 

Até que ponto a monty Pythom se atem a detalhes nas músicas? A politica é detalhista nas músicas ou é colocado um estilo dos músicos da Monty?

Na verdade é um mix de fatores. nos atemos bastante nos detalhes originais porque são eles que engrandecem uma bela execução musical e são a marca dos Brothers, porém, sem deixar de lado o estilo de cada músico em sua performance, visto que nós também temos várias vertentes diferentes que nos inspiram.

 

Como esta a banda? Como esta a agende da Monty? Quais os planos?

Estamos a milhão, ensaiando bastante para capricharmos nos palcos, que, sem sombra de dúvida, é a marca da Monty Python Band. Temos vários shows engatilhados no caminho, como Festinélvis, que está programado para o dia 20/06, aqui em Bento Gonçalves mesmo. Também estamos trabalhando em composições próprias para que a galera da região conheça nosso real som, onde buscamos mesclar variados estilos musicais, sempre tendendo ao rock e suas variantes.

 

Gosraria de agradeçer a galera da Monty pela conversa e tambem convidar quem conferer o blog para o show desses caras!

 

Contatos:

Fone: (54) 8115-6191

Email: montypython@montypython.com.br

Site: http://www.montypython.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/monty.pythonband

 

cy!

 


Comentários postados (4) - Deixe seu comentário
PUBLICIDADE PUBLICIDADE

Vamos Musicar

Marcio Moraes toca guitarra desde os 12 anos e, além de guitarrista da banda Comfort Eagle, ama música. Falar, escrever e discutir sobre o assunto movem este estudante de Publicidade e Propaganda. Escrever sobre instrumentos e novas tecnologias surgidas no meio musical, trazer e falar sobre lançamentos musicais e equipamentos serão a mola propulsora deste espaço. Então, vem com a gente? Vamos musicar?